sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Os gigantes gelados e rochosos rodeavam o navio


Fotografia: Students-on-ice.

3 de Janeiro de 2008

O dia começou às sete da manhã, com a entrada no Lemaire Channel. Pelo altifalante, fomos avisados que estávamos prestes a entrar num magnífico canal, delineado por grandes montanhas e glaciares.

Os olhos fixaram-se no percurso do navio, através das águas geladas, mesmo antes do pequeno almoço.

Nevava. O navio revelou-se coberto por um manto branco, o qual depressa se transformou num boneco de neve, com direito a cenoura e tudo!

Os gigantes gelados e rochosos, rodeavam o navio, revelando o quão pequenos somos, perante o poder da Natureza.

Os icebergues surgiam por todos os lados, alguns salpicados com pinguins, outros com focas. Conseguimos até avistar algumas baleias.


Fotografia: Students-on-ice.

Ainda durante a manhã, depois do pequeno almoço, fomos a terra, a Yalour Islands. Cercados de pinguins, gelo, neve, aves, montanhas e oceanos, a paisagem revelou-se digna de um quadro, em que os humanos se conseguiam fundir com as leis do ecossitema. Alguns pinguins Gentoos guardavam os seus ovos, alguns as crias já nascidas, enquanto outros ajudavam na construção dos ninhos, transportando pequenas pedras.


Fotografia: Students-on-ice.

De seguida, fizemos um pequeno cruzeiro nas Zodiac por entre imensos icebergues, que se revelaram com as mais variadas formas e tamanhos, muito para além do que a imaginação alcança. Uns tomavam parecenças com cogumelos, outros com baleias, cascatas, etc.

Regressados ao navio, almoçámos e tivemos algum tempo de descanso, que aproveitámos para conviver com os outros estudantes.

Pela tarde, assistimos a uma palestra, dada pelo cientista Fred Roots, sobre o Ano Polar Internacional e o Tratado da Antárctida, onde foi evidenciada a importância da cooperação científica, a nível internacional, para o desenvolvimento da ciência. Não sendo de ninguém, a Antárctida é de todos. Nenhuma especie de actividade militar é permitida neste territorio, sendo, assim, o único continente do planeta que nunca presenciou uma guerra.

Fomos, depois, novamente a terra. Pisámos, então, Port Lockroy, onde tivemos a oportunidade de comprar algumas recordações e, finalmente, enviar postais! Em Port Lockroy desenvolve-se uma pesquisa sobre o impacto do turismo nas colónias de pinguins. Curiosamente, as conclusões a que se tem chegado apontam para um maior sucesso no desenvolvimento das crias, na zona onde são admitidos visitantes. Uma possivel explicação reside no facto dos predadores de ovos (Skuas), preferirem atacar onde os pinguins se encontram mais isolados. Mais uma vez, tivemos a possibilidade de estar num local com uma gigantesca parede de gelo como plano de fundo, numa paisagem preenchida por rochas, água, pinguins gentoos, e diversas aves.

De seguida, fomos a uma zona onde pudemos observar ossadas de baleias, expostas numa área de nidificação de pinguins gentoos e de Blue-Eyed Shag. Tivemos também a oportunidade de observar de perto uma foca leopardo. É bastante impressionante ver tais animais a poucos passos de distância, dando a sensação de sermos directamente transportados para os cenários dos documentários televisivos.


Fotografia: Students-on-ice.

Regressados ao navio, jantámos e assistimos a uma palestra da cientista Belinda, sobre mergulhos ao fundo do oceano, na busca do histórico Titanic, afundado em 1912, no Atlântico Norte. Ficamos elucidados sobre a logística e os processos do mergulho, assim como da dinâmica do fundo dos oceanos, que normalmente encaramos como apenas uma enorme massa de água. Pudemos observar fotos de evidências de tectónica de placas e da actividade vulcânica.

Amanhã é o nosso último dia para a descoberta deste continente.

Vamos agora aproveitar a noite, que não consegue espreitar por entre a persistente luz do dia.

Inês Murteira

6 comentários:

Manuela disse...

Já vimos os glaciares, as baleias, os pinguins, porque a tua descrição leva-nos a isso. Falta-nos tocar-lhes e isso só acontece na 4ª feira quando te tocarmos a ti porque sabemos que os vais transportar contigo na tua mente e nos teus contos.
Obrigada Inês!
Muitas, muitas saudades!!!
Muitos desejos que regresses impregnada dessa felicidade que persentimos presente em cada foto tua que vimos e nos textos que lemos. Muitos beijinhos para todos e claro um muito especial para ti
Manuela e João Murteira

Paulo disse...

Estou completamente deliciado com a vossa reportagem. Acompanho dia a dia os vosso comentários. As imagens são magníficas. Carpe diem.
Paulo Bagorro - ESPN

Helga disse...

Olá Inês! Que bom receber notícias! As imagens são tão belas e unicas que percebo que, apesar do aspecto gelado, nem menciones o frio que esteja aí!! Que cenários extraordinários: obrigada por partilhares connosco! Muitos beijinhos e saudades,
Helga

guida disse...

É uma maravilha acompanhar a vossa viagem!... Imagino a maravilha que deve ser vivê-la!!!!! É mesmo entrar num documentário ou viver um sonho, hem? Fantástico!
Obrigada por partilharem connosco de uma forma tão bela e sentida essa experiência única!
Desejo que tudo continue a correr bem e que, por muito flexíveis que sejam os planos, todas as opções se revelem pelo menos tão simplesmente extraordinárias como as já experimentadas!
Um beijinho para todos, especialmente os "meus" "anselminhos".

Mª Margarida Lucena

Maria Eugénia Cabrita disse...

Olá Inês,
Vais ter de arranjar fôlego para nos descreveres tudo ao vivo. Vais aguentar?
Muito obrigada pelas tuas imagens fabulosas.
Beijinhos
Maria Eugénia Cabrita
Escola Secundária de Pinhal Novo

Isabel Andre disse...

Olá Inês!
Tenho acompanhado esta tua aventura desde que saiste no dia da Natal e fico sempre com pele de galinha, num misto de orgulho por esta menina que conheço e de alegria por te conhecer e seres precisamnte tu que levas a "alma" desta terrinha a paragens tão distantes, no meio de tanta gente de outros tantos sitios.
Que esta viagem te enriqueça ainda mais a alma e te fortaleça para que protagonizes mais aventuras deste género e desta forma, ou seja, através do teu espirito empreendedor, da tua força e inteligência, da tua riqueza interior ...
E tal como é referido em algumas ocasiões nestas reportagens, contamos convosco para salvar este planeta!
Um grande beijinho,
Isabel André